terça-feira, 11 de novembro de 2014

Salles: sorriso e simpatia

É engraçado como as pessoas nos afetam de diversas maneiras - umas pela beleza, outras pela inteligência, pela simpatia ou pelo talento específico que possuem. O que mais me chamou atenção nele, além, claro, da simpatia e do talento (inegáveis, diga-se de passagem), foi o carinho e atenção que ele dedica ao seu público. É muito bonito de ver.

Lembro-me bem da primeira vez que o vi na TV, há alguns meses: era um episódio do "De Volta pra Pista" (um em que os personagens viajam para uma praia e ficam numa casa caindo aos pedaços). Acabei assistindo sem querer, de tanto a minha irmã comentar do bendito seriado. Adorei e acabei assistindo a temporada toda! Fiquei curiosa e resolvi pesquisar mais sobre aquele gordinho engraçado da série - depois liguei o nome à pessoa e lembrei que ele tinha feito "Além do Horizonte" (será que ele entendeu a novela?!) e era um dos novos (e bons) integrantes do CQC. Fucei mais um pouco e descobri que ele também tem um Tumblr - e que escreve bem pra caramba!

A primeira vez que o vi pessoalmente foi na estreia do Deu Branco aqui em Sampa, no dia 05 de setembro. Eu, que sempre curti stand-up comedy e grupos de improviso, fiquei impressionada com o talento e a vibe dos quatro (Lucas, Lamoglia, Thiré e Rapha) no palco. Foi o que bastou pra eu me encantar de vez pelo quarteto! No fim da apresentação estava num impasse: falar ou não falar? Morro de vergonha desse tipo de situação... Decidi por falar e foi a melhor coisa que eu poderia ter feito! Além de me tratar com uma simpatia incrível (bem característica dos cariocas), Lucas foi super atencioso e gentil. Voltei mais duas vezes (nas duas últimas apresentações) e só me surpreendi (ainda mais) positivamente.

Ver esse tipo de comportamento bacana em artistas em ascensão é coisa rara - ainda mais quando se tem apenas 21 anos e uma vida inteira pela frente. Nego quer ficar rico, famoso, ter status/poder e na maioria das vezes, torna-se uma pessoa detestável e egoísta. No entanto, não foi essa a impressão que ele me passou; aliás, foi justamente o contrário. Lucas parece ser um cara pé no chão, que não deixa o sucesso subir à cabeça e têm consciência de quem é e aonde quer chegar. Num mundo onde tudo é tão maluco e efêmero, fico feliz de saber que ainda existam pessoas assim como ele - sem dúvida seu caminho como artista será longo e cheia de boas surpresas. Que assim seja. Vida longa, Lucas!




Nenhum comentário:

Postar um comentário

E aí, o que achou?